História - Prefeitura Municipal de Belém Alagoas - Reconstruindo com o povo

Title
Ir para o conteúdo
Página Inicial > História
História
O  território hoje ocupado pelo município de  Belém, foi em meados do  século XVIII, um pequeno aldeamento de índios  remanescentes dos  "Xucurus" e que viviam às margens do Rio Lunga. Estes  silvícolas, de  índole pacífica, tinham por hábito a colheita de uma  pequena planta  denominada "canudo", usada nos cachimbos que fumavam.  Existia em grande  quantidade junto à serra Canudos, também conhecida na  região como  Guaribas. Mais tarde, com a formação do primeiro povoamento  de homens  brancos, o nome "Canudos" permaneceu como toponímia da  localidade.

Conta-se  que os primeiros desbravadores após os  indígenas, foram as famílias  Tenório e Barbosa da Paixão, que ali se  dirigiram atraídos pela  fertilidade das terras. Implantaram grandes  lavouras e em breve, novos  moradores foram se localizando nas  redondezas. Por volta de 1900 o  local contava com inúmeras casas e  sítios implantados pelos  agricultores recém-chegados. O comércio  começava a progredir e o  movimento era dos maiores. Inúmeras bolandeiras  foram montadas. Foi  quando houve um sério desentendimento, entre  membros das famílias  Tenório e Rodrigues de Santa Rosa, culminando em um  encontro armado  onde foram usados mosquetões e rifles "papo amarelo".  Registraram-se  mortes de ambos os lados.

Canudos  estava sob  jurisdição de Anadia. Em 1953, por força da Lei nº 1712, de  08 de  agosto, foi elevada à condição de vila, o que muito contribuiu  para que  um incremento em sua vida sócio-econômica fosse registrado.  Tanto é que  em 1962, a Lei nº 2466, de 24  de agosto, estabeleceu sua  autonomia  administrativa. A instalação oficial ocorreu a 26 de setembro  do mesmo  ano, desmembrando de Anadia e formado por apenas 1 distrito, o  da sede,  situação que permanece até hoje.
O  movimento de emancipação encontrou  nos senhores Manoel Belarmino  Silva, Marinho José da Silva, José  Cardoso da Silva, Euclides Duarte  Barros, Antônio Tenório Cavalcante,  Valdomiro Marques, Manoel Vieira  Ramos, Waldir Barreto de Souza, Manoel  Soares da Silva e José  Crescêncio Filho, seus principais baluartes. O  projeto foi apresentado  na Assembléia Legislativa pelo deputado Ulisses  Botelho.

A  mesma Lei que elevou o povoado a município, modificou seu  topônimo  para Belém, aproveitando a sugestão apresentada por muitos  religiosos  que freqüentemente realizavam ali as Santas Missões.

A  animação da população de Belém pode ser vista em duas de suas   principais festividades: a festa do padroeiro, São Sebastião (11 a 20  de  janeiro) e os festejos juninos.

SITUAÇÃO:  Encontra-se situado na  Micro-Região de Palmeira dos Índios, sendo  limites: Taquarana (9 Km),  Tanque D`Arca (14 Km) e Palmeira dos Índios  (24 Km). Dista da capital,  109 Km. Sua altitude é de 374 metros acima   do nível do mar. Coordenadas  geográficas: 9º 33`42`` de latitude sul e  36º 28`54`` de longitude W.  Gr.
CLIMA:  Quente e seco, tornando-se agradável por ocasião da época  invernosa.  Máximas de 33º e mínimas de 24º. O inverno tem início em  maio,  terminando em agosto.

ÁREA:  Com uma área de 54 Km², situa-se em  81º lugar no Estado. Segundo  fontes da Prefeitura Municipal local, a  área real do município é de 89  Km², de acordo com o levantamento próprio  recentemente realizado.


Fonte
IBGE
Contato
249 Rua do Comércio
Centro
+55 (82) 99999-9999
+55 (82) 99999-9999
Voltar para o conteúdo